Pizzaria Covil do Pirata

Minha experiência na Pizzaria Covil do Pirata – 02/12


      Depois do período de férias no Rio de Janeiro, nosso ultimo destino, assim como a grande parte dos moradores de Caxias e região, foi o litoral norte gaúcho, mais especificamente Arroio do Sal, onde na noite do ultimo sábado fomos comer uma pizza.
      A pizzaria escolhida fica localizada próxima a praça da prefeitura da cidade, onde estão localizados diversos bares e onde ocorrem shows e atrações de verão. Logo na entrada, existe uma grande placa apresenta todos os sabores e os valores, o que ajuda a evitar surpresas. Nessa noite, o local, que na é muito grande, estava cheio e precisamos aguardar apenas alguns minutos até vagar uma das mesas. 
       O ambiente não é muito confortável, o teto e as paredes parecem mal acabados. As mesas de madeira são cobertas por toalhas vermelhas e plástico por cima, a iluminação é baixa e não existe muita decoração.


       O pedido da noite foi uma pizza grande, com os seguintes sabores: Arroio do Sal, composta por diversos queijos e camarão, frango com catupiry e chocolate preto com morangos. A borda, assim como em alguns locais em Caxias do Sul, pode ter um único sabor, tanto na parte doce quanto na salgada, e escolhemos catupiry.
       Em aproximadamente 30 minutos a pizza foi trazida. O sabor arroio do sal, o gosto do queijo era bem mais acentuado, deixando o camarão em segundo plano. Frango com catupiry também não é muito gostoso, sem tempero e pouco saboroso. E o catupiry da borda não tinha um gosto bom e aparência pouco atraente. A melhor parte foi a doce, com chocolate de qualidade e em quantidade generosa. Não se pode dizer o mesmo dos morangos, que eram verdes e apenas adornavam as fatias, mas o chocolate agradou.




       Resumindo: A  quantidade de garçons e a pouca velocidade, deixaram o atendimento a lento e ineficiente. A questão de não poder escolher os sabores da bordas diferentes nas partes doces e salgadas também é um ponto negativo, principalmente pra quem não gosta da combinação doce e salgado. Mas existe a opção de pedir a pizza sem borda, pagando um valor menor. A pizza doce salvou a noite. Pagamos R$ 38 pela pizza mais R$ 4,00 pela borda.


Endereço: Rua Paulista, 183 - Centro
Arroio do Sal - RS
Telefone: (51) 3687-2555

Post Especial – Agnoline no Rio de Janeiro

Minha experiência no Rio de Janeiro – JAN/12


   Passadas as festas de fim de ano, tempo de comemorações, agradecimentos e expectativas, iniciou-se o período de férias, pelo menos para nós. Assim, decidimos que estas férias seriam diferentes, e embarcamos rumo a “cidade maravilhosa”. Cidade que recebe turistas o ano todo, de todas as partes do mundo e que tem os principais pontos turísticos do país. A cidade que, alem de tudo isso, sediará a final da Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016. Nem precisar conhecer o Brasil para entender que o nosso destino foi a cidade do Rio de Janeiro. 
       Sim, o blog continua sendo direcionado a experiências gastronômicas na Serra Gaúcha, podendo se estender a outras localidades do RS, mas achamos que seria uma boa oportunidade de fazermos comparações e entender a diversidade cultural que nos cerca, contando aos nossos leitores, como foi a nossa experiência neste período.
       No Rio de Janeiro, tivemos a oportunidade de conhecer os mais diversos tipos de restaurantes, desde buffet a quilo a churrascarias com buffet de sushi e descobrimos que o paraíso gastronômico é aqui. O sabor da comida e o atendimento são os pontos que notamos mais deficiência. Massas praticamente sem molho, filés sem sabor e de aparência duvidosa, e um atendimento despreparado, sem vontade.


Bateu uma saudade das nossas pizzas! Forno a lenha, borda recheada e recheio generoso, não foi o que encontramos por lá. Nossa experiência em uma pizzaria em Copacabana foi bem decepcionante. Os lugares são pequenos mas conseguem ser organizados. Ao redor é possível ouvir uma grande variedade de idiomas. No cardápio vários sabores e disponibilidade de frutos do mar. Nosso pedido foi uma pizza média, metade de camarão e metade de “churrasco”. O que chegou a nossa mesa foi uma massa super fina e uma pequena camada de recheio, que só serviu para deixar a massa molhada e com aspecto de crua. A única vantagem, se é que pode se chamar assim, é o preço - R$ 18.


Na beira da entre Ipanema e Copacabana, existem vários estabelecimentos que tem “puxadinhos” ao ar livre. Passamos por vários desses e experimentamos alguns. O que é comum a todos eles, é a companhia das pombas, que caminham por entre as mesas. Por lá, os pratos a base de picanha são mais caros que pratos com filé. A caipirinha também não é tão boa e bem feita como aqui, todas que experimentamos eram fortes e amargas, por que eles utilizam o limão com casca.


A maioria dos locais não é especializada em apenas um tipo de comida. Buffet, sushi, e churrasco em um único local. Essa diversidade acaba atendendo todos os públicos, mas é um pouco estranho, por que nenhum dos tipos de comida é bem feito.
A melhor experiência que tivemos foi na churrascaria Porcão, - claro, um dos lugares mais famosos-  frequentada por muitos artistas globais e outros famoso. Começamos o almoço ao meio dia e saímos da mesa às 16hs. Um grande buffet de pratos a base de frutos do mar, com lulas, camarões e salmão, e uma grande diversidade de saladas. Outro buffet de sushi com uma grande variedade de sushis, sashimis e o que mais se possa imaginar, podendo solicitar até preparos quentes, como o hot Filadélfia. E finalmente o  espeto corrido, com tudo que tem direito, picanha, filé com queijo, carne de avestruz entre outros. O atendimento é muito bom, atencioso e ágil. Lá conseguimos uma caipirinha descente, com vodka importada e bem preparada, mas preço por tudo isso é bem salgado e não podia ser diferente, R$ 87 por pessoa.







Resumindo: novas experiências são sempre satisfatórias. Quando agradam, por que agradam. Quando não agrada, ajudam a valorizar o tradicional e familiar. O Rio de Janeiro é, sim, a cidade maravilhosa. Pelas paisagens, pelas praias, pelos pontos turísticos e pelo estilo de vida da população. O atendimento dos estabelecimentos e a própria comida, não nos agradaram e as experiências nos serviram para mostrar o quanto somos privilegiados no quesito alimentação. Se você concorda ou não, deixe seu comentário.

Férias 2012

Férias 2012


     Depois de mais de um mês de férias, estamos voltando com espirito renovado, bem descansado e tentando entrar no ritmo novamente, por que ninguém é de ferro, e as férias foram mais do que merecidas.
        Para esse ano vamos dar continuidade em nosso trabalho, buscando novas experiências e trazendo novidades para o site. Esperemos que esse ano seja ainda melhor que o ultimo. Vamos aos sacrifícios...

Pizzaria Artigianale

Minha experiência na Pizzaria Artigianale – DEZ/11


      Sábado à noite e uma grande vontade de comer pizza, depois de receber diversos comentários e elogios do local, fomos até a Pizzaria Artigianale, localizada na Avenida Julio de Castilhos.
      O local possui dois andares. O primeiro onde fica o caixa e a parte da tele-entrega, e no segundo andar onde funciona a pizzaria. Ao chegarmos, o garçom nos mostrou as mesas livres e questionando se preferíamos rodízio ou a La carte. Optamos por uma das mesas ao lado da janela, com vista para a Avenida. As paredes amarelas e o papel branco sobre as mesas deixam o ambiente um pouco estranho. Em seguida o garçom nos entregou um panfleto que serve como cardápio, para escolhermos os sabores.


      Antes de começar a fazer o pedido, o garçom nos explicou a relação entre os tamanhos das pizzas e a quantidade de sabores, alem dos preços. Nosso pedido foi uma pizza grande e os sabores escolhidos foram: Camarão (camarão, molho vermelho e catupiry), fricassê de frango e Chocolate Feliz (doce de leite, chocolate preto, chocolate branco, confetes e morango). O pedido é anotado em um papel que tem o desenho do formato da pizza. Depois disso, o garçom nos trouxe um prato de salada, com alface e tomate.


   O mais complicado foi a escolha da borda. Segundo o garçom, só podíamos escolher um único sabor, que seria colocado em toda a pizza. Mesmo solicitando para que no sabor doce ficasse sem borda, o garçom insistia que não era possível. Tivemos que demonstrar como o pizzaiolo deveria fazer, parando de apertar a bisnaga de catupiry quando chegasse na parte doce. Foi hilário. Sugerimos então que o garçom se informasse quanto a possibilidade de deixar a parte doce sem borda, já que segundo ele, só poderíamos escolher um sabor. Depois de alguns minutos, nos informou que conseguiriam.
      Aproximadamente 25 minutos depois nossa pizza foi trazida. A parte do camarão era bem gostosa e tinha uma boa quantidade de camarão, apesar de serem super pequenos. A parte de fricassê de frango estavam bem sem graça, a quantidade de molho branco impressionou mas era sem gosto algum, apesar da quantidade de queijo. A borda era bem fina, sem muito recheio e o catupiry não era de muita qualidade. A pizza doce parecia uma mistura de tudo, chegava a ter aparência duvidosa, mas era gostosa.





    Resumindo: Não foi das nossas melhores experiências. Garçons despreparados, pizza pequena e sem muita graça. O local possui dois ambientes, e quando chegamos acreditamos que os espaços eram diferenciados conforme a preferência por rodízio ou a la carte, mas não, cada cliente escolhe a mesa que quiser, independente da escolha o que dificulta o trabalho dos garçons e exige mais atenção.

 
Endereço: Avenida Júlio de Castilhos, 545 - Lourdes
Caxias do Sul / RS
Telefones: (54) 3222-1001 ou (54) 3028-3003
Site: Artigianale Pizzaria Caxias do Sul

Bumerangue Hamburgueria

Minha experiência no Bumerangue Hamburgueria-DEZ/11


      Antes de ir as compras de natal, na ultima quarta-feira a noite e interessados por uma matéria do jornal Pioneiro, fomos até o Bumerangue Hamburgueria que havia inaugurou a poucos meses em Caxias.
       Na chegado ao local, recebemos um cartão que serve de comanda para marcar nosso pedido. São dois ambientes, um interno, com bumerangues amarelos decorando o teto e mesas escuras, espaço externo separado por portas de vidro e semelhante a um deck, com mesas e cadeiras de madeira, que foi o que escolhemos.


       Após nos acomodarmos, recebemos o cardápio. A casa oferece dos lanches, baurus, pratos feitos e petiscos, alem das opções de saladas e até sobremesa. Nosso pedido foi um xis Bumerangue, composto por filé, bacon, queijo, presunto, alface e tomate e uma salada de filé. Para beber, uma limonada suíça, que logo foi servida. A bebida estava muito amarga e por isso, precisamos solicitar açúcar, que logo foi trazido


          Em pouco tempo o nosso pedido foi servido. O xis não é muito recheado, a quantidade de filé e bacon é pequena e retirando a alface, ele fica bem fino, quase sem graça. Os acompanhamentos como catchup Heinz e maioneses são trazidos a mesa.



         O prato de salada é grande. Composto por alface, queijo ralado, croutons, molho de mostarda, e uma boa quantidade iscas de filé grelhado, faz desse prato uma ótima opção saudável. A combinação de ingredientes é saborosa e o tamanho pode servir até duas pessoas.



       Resumindo: O xis decepcionou um pouco pelo tamanho e pela quantidade de recheio, mas é bem gostoso. O local possui um pequeno estacionamento. O atendimento é bom e rápido. O ambiente, principalmente o deck externo, é uma boa opção para o happy hour. Tivemos um pequeno contratempo no momento de pagar a conta, mas que foi rapidamente resolvido. O preço do xis é um pouco salgado R$ 18,00 e a salada R$15,00.



Endereço: Avenida Julio de Castilhos, 151
Lourdes, Caxias do Sul/RS
Telefone: (54) 3419-0101
Site: Bumerangue Caxias do Sul

Agnoline Flutuante – Parabéns pra você!


     O primeiro ano de uma criança é sempre sinônimo de comemoração e super eventos. Para o blog, comemorar o primeiro ano de postagens constantes é relembrar e agradecer.
     Hoje, dia 17 de dezembro de 2011, completamos o nosso primeiro ano de blog. Foram um total de 112 postagens, entre “o melhor do mês”, a serie “Cucina Per Tutti”, curiosidades e avaliações dos estabelecimentos.
     Neste primeiro ano foram 90 restaurantes visitados! 90 lugares diferentes da região de Caxias do Sul e da Serra Gaúcha. Fazendo um calculo aproximado, os custos das visitas ficam em torno de R$ 5000, e valeu muito a pena! Locais dos mais diferentes tipos, desde os mais simples apenas para um lanche, étnicos e até os mais sofisticados.
     Com uma média de 250 visitas diárias, 3000 amigos no perfil do Facebook, quase 1000 seguidores do Twitter e uma matéria no Jornal O Pioneiro, o blog foi muito além do que imaginávamos. Uma fonte de consulta, opiniões e criticas. O retorno dos leitores também surpreendeu. São diversos e-mails indicando locais e compartilhando experiências, nos dão cada vez mais força de continuar.
     Obrigado a todos que leem, contribuem e fazem parte da nossa história. Que o próximo ano seja ainda de mais sucessos.

Restaurante Antonielle

Minha experiência no Restaurante Antonielle – DEZ/11


        Na ultima quinta-feira, por indicação de uma amiga e aproveitando o intervalo do almoço, fomos conhecer o restaurante Antonielle em Farroupilha. O local serve diversos pratos ala carte, com opções de filés, frangos, peixes e massas.
          Chegando ao local, fomos recepcionados por um dos garçons, que nos mostrou as mesas disponíveis. Escolhemos uma próxima as amplas janelas. No local, as mesas são cobertas com toalhas brancas e trilhos em cinza e as cadeiras são de madeira. As grandes janelas deixam o local bem iluminado e arejado.


 
         Após nos acomodarmos, fizemos nossos pedidos. Um filé a parmegiana e um filé com molho de mostarda. Os dois pratos acompanham arroz, batata frita e um prato de salada. Para completar o pedido, optamos por experimentar também, um prato de espaguete al pesto. O prato de salada foi trazido em poucos minutos, composto por maionese, cenoura, algumas folhas de alface, tomate e beterraba.
         Em aproximadamente 30 minutos nosso pedido foi trazido. O filé a parmegiana é grande, com uma boa quantidade de queijo e molho, bastante saboroso. O filé com molho de mostarda é bem gostoso, o molho na medida, nem muito e nem muito suave. A massa apesar da grande porção, não agradou muito. O espaguete era cozido demais e o molho al pesto tinha pouca nozes.




      Resumindo: Nossos dois pratos de filé estavam muito bons e em quantidade suficiente para quem esta com bastante fome. Já a massa estava um pouco abaixo do nível dos filés. O atendimento é ágil. Os pratos variam entre R$ 12 e R$ 16,00.


Endereço: Rua Mal. Deodoro da Fonseca, 174
Bairro Centro, Farroupilha/RS
Telefone: 54 3042 0147
Fotos: MeuRecado

Melhor do mês

Novembro de 2011

           Apesar da pouca quantidade de locais visitados no mês de novembro, mantemos nossos critérios de avaliação e portanto, elegemos o Falcão Lanches como o “Melhor do mês de Novembro”.
      O escondidinho surpreendeu, o ambiente simples e organizado e o atendimento prestativo completaram a experiência. 
           Confira a matéria completa: Falcão Lanches

Restaurante nas Alturas

Dinner in the Sky – NOV/11


     Dando seguimento na nossa serie Cucina per tutti, o restaurante escolhido não é bem um restaurante, e sim um local para fazer uma refeição. Trata-se da empresa Dinner in the Sky, que oferece seus serviços sobre uma mesa com 22 lugares elevados por cabos de aço ligados a um gigantesco guindaste a uma altura de 50 metros acima da superfície.



     As pessoas podem desfrutar de seus alimentos com uma vista espetacular sobre a cidade que se desejar. O restaurante foi criado na Bélgica em medos de 2004, mas sua oferta não se limita a este país. Os serviços podem ser contratados em dezenas de países. No Brasil os serviços já foram oferecidos na cidade de São Paulo.




      Na maioria das vezes, o restaurante é contratado por empresas ou para eventos e comemorações, e querem um almoço ou jantar exótico, mas o preço não é para qualquer um, em torno de 159 euros por pessoa.



         O Dinner in the sky acomoda apenas 22 pessoas em volta da mesa e 3 funcionários (o chef, garçom e um animador). Um teto de acrílico protege a cabeça dos 22 sortudos para os dias de chuva e possíveis surpresas vindas de pássaros. O restaurante fica disponível por 8 horas e esse tempo pode ser dividido ou personalizado aos desejos do cliente. Como o espaço limitado para ir ao banheiro, por exemplo, os clientes precisam usar um toalete comum, em terra firme. A diferença é que o processo é apenas um pouco menos discreto, já que toda a plataforma tem que descer, mas os organizadores dizem que tudo leva menos de um minuto.



         O Dinner in the Sky fica na Bélgica, mas é móvel e pode ser levado para qualquer lugar. Com isso ele já passou em diversos lugares, desde a França, África do Sul, Austrália, Canadá e Portugal. O projeto deu tão certo que se multiplicou para outros eventos como: Breakfast in the sky (café da manhã), lunch in the sky (almoço), cocktails in the sky (degustação de bebidas), meeting in the sky (encontros e acontecimentos) e também pode haver outras versões adaptando-se  às ideias e necessidades dos clientes. 






          Para se adaptar aos diferentes climas e intemperes das alturas, o Dinner in the sky dispõe de um sistema de aquecimento por infravermelho, assim mesmo os que sentem muito frio poderão desfrutar do jantar tranquilamente.





         Você já imaginou um jantar assim aqui na Serra? Eu iria com certeza, e vocês?

   

Fonte: Marketing na Web
Fonte: Rebolinho
Fonte: Travel Brasil Online
Site: Dinner in the Sky